Autos de libelo em que é autor Francisco do Canto e Castro Pacheco e sua mulher, moradores nesta cidade, e réu o Ilustrísssimo Deão da Santa Sé desta cidade, o Doutor Manuel dos Santos Rolim

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Autos de libelo em que é autor Francisco do Canto e Castro Pacheco e sua mulher, moradores nesta cidade, e réu o Ilustrísssimo Deão da Santa Sé desta cidade, o Doutor Manuel dos Santos Rolim

Detalhes do registo

Informação não tratada arquivisticamente.

Nível de descrição

Documento composto   Documento composto

Código de referência

PT/BPARPD/PSS/MEC-CC/0103/00001

Tipo de título

Formal

Título

Autos de libelo em que é autor Francisco do Canto e Castro Pacheco e sua mulher, moradores nesta cidade, e réu o Ilustrísssimo Deão da Santa Sé desta cidade, o Doutor Manuel dos Santos Rolim

Datas de produção

1763-01-17  a  1764-01-02 

Dimensão e suporte

1 doc. ([8 f.]+119 f.+[9 f.])

Âmbito e conteúdo

Juízo Eclesiástico de Angra, autos cíveis de libelo no qual os autores reivindicam as benfeitorias que constam de jardim, cerca, casa, varanda e pátio feitas em chão/terrenos nas "dadas do Brasil" ou de São Gonçalo, na mesma cidade, junto às casas que foram do Deão Lopo Gil Fagundes, que pertencem ao morgado instituído por Pedro Anes do Canto, pelas quais se paga de foro 3$000 réis, destruídas pelo Deão Francisco Louzeiro Raposo para no chão das mesmas fazer as benfeitoiras que anexou ao seu passal.Inclui:- carta de sentença da Relação de Lisboa, a favor da Abadessa do Convento da Conceição, Angra, de 23 jul. 1673;- carta de sentença cível a favor de José Francisco do Canto de Castro Pacheco para dar posse das benfeitoiras por ter pago ao Convento da Conceição a importância das mesmas, Angra, 23 jul. 1746- escritura de permuta celebrada entre o Deão Francisco Louzeiro Raposo e Bartolomeu Fernandes Rafael e mulher, na qual o Deão recebe 3 casas palhaças na rua e travessa do Maranhã, Angra, 11 mar. 1652- escritura de venda celebrada entre o padre Luís Gonçalves Balieiro e o citado Deão, de um pardieiro e chão em frente da portaria de São Gonçalo, Angra, 31 jan. 1652

Cota descritiva

103.761

Data de publicação

20/04/2020 13:51:57